Pai! Mãe! Estou um pouco confuso.


Tenho cinco anos e fui ao Rock in Rio até às duas da manhã, como fazem os muito mais velhos com 16 anos, mas adormeço todos os dias na cama dos pais.
Tenho seis anos e deito-me às 11 da noite ou ainda mais tarde, como fazem os muito mais velhos com 16 anos, mas ainda vou para a cama dos pais a meio da noite.
Tenho sete anos, já tenho uma namorada uma tatuagem pintada e o cabelo em crista, como os muito mais velhos com 16 anos, mas choro com as sombras do quarto e a mãe vem dormir comigo.
Tenho oito anos e a minha festa de anos foi um jantar no hard rock café, como fazem os muito mais velhos com 16 anos, mas ainda durmo com o meu ursinho.
Tenho doze anos e já fui a uma discoteca, onde só se bebe sumo de laranja, mas fui a uma discoteca como vão os muito mais velhos com 16 anos, mas ainda preciso de uma luz acesa no corredor para adormecer.
Tenho catorze anos tenho medo da vida como os muito mais velhos com 16 anos, mas a mana não é assim.
João Rangel de Lima – Julho de 2006